Exemplo para o Mundo

Nas últimas semanas, presenciamos uma discussão acalorada sobre a Amazônia. Os debates ganharam as páginas da imprensa internacional e muitas vezes se perdeu a cortesia, inclusive, entre chefes de estado. A discussão sobre a Amazônia sempre trás junto a questão ambiental, na medida que a sua preservação seria essencial para se garantir as metas colocadas sobre o aquecimento do planeta. Durante essas semanas, o Brasil foi acusado de adotar políticas ambientais equivocadas. Na realidade, o Brasil hoje é um dos países que mais colabora para a redução de gases de efeito estufa através de uma matriz energética das mais limpas do mundo, devido a uma expressiva participação das chamadas energias renováveis.

Regulação e assimetria tributária

No Brasil existe uma enorme demanda reprimida por investimentos em toda a nossa infraestrutura, levando a uma elevação sem precedentes do custo Brasil. Enquanto isso, o mundo apresenta grande liquidez, que procura mercados. Por que, então, não chega à economia brasileira o volume de recursos de que tanto precisamos, de novos investimentos em infraestrutura, os maiores geradores de empregos?

A saída para a venda direta de etanol, escreve Adriano Pires

No início de junho, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou uma resolução incentivando a venda direta de etanol aos postos de combustíveis. Dadas as consequências de larga escala no mercado de combustíveis, a ideia da comercialização de etanol hidratado pelas usinas diretamente aos postos revendedores precisa ser analisada em detalhes para evitar uma desorganização no mercado com consequências graves para os consumidores.

Queremos Mercados Concorrenciais ou Anárquicos?

Discussão apaixonada de nós contra eles nunca leva a lugar algum. No Programa Novo Mercado do Gás, o Governo tenta, com razão acabar com o monopólio da Petrobras e abrir espaço para nova concorrência. De forma equivocada fala em quebrar o monopólio natural das distribuidoras de gás estaduais e traz a reboque o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), mas parece não entender que o GLP não é gás natural.

A Importância do Armazenador de Gás Natural

O desenvolvimento do pré-sal vai provocar um choque de oferta de gás de natural no Brasil nos próximos 6 anos. Esse aumento da oferta tem de vir acompanhada do crescimento do mercado de gás natural. Isso traz inúmeros desafios. Um deles é equacionar a questão do balanceamento entre a demanda e oferta em uma escala nunca vista no Brasil e com a presença de vários players privados ao longo de toda a cadeia. Neste momento, em que o governo está lançando as bases do programa Novo Mercado de Gás e com a assinatura de um TCC entre o CADE e a Petrobras com o objetivo de acabar com o monopólio da estatal, e preciso acabar com o monopólio da empresa como supridora de última instância. A forma adequada e a estatal vender campos depletados e, com isso, possibilitar o surgimento do armazenador de gás.