Redução na defasagem negativa entre o preço de refinaria dos combustíveis

Por CBIE

De acordo com a atualização mais recente, em 10 de maio, o preço médio do diesel na refinaria nacional ficou R$ 0,20/ litro (ou -6,9%) abaixo do preço no Golfo do México (EUA). O resultado deve-se ao aumento, de 0,6%, no preço internacional do diesel, com relação ao preço da semana anterior (3/5), somado a redução de 4,2% na taxa de câmbio (R$/US$). Não houve ajustes no preço de refinaria doméstico do diesel na semana em análise.

Veja o histórico dos últimos 12 meses no gráfico abaixo:

Na média semanal (3 a 10 de maio), o preço do diesel na refinaria nacional ficou R$ 0,24/litro (ou -8,1%) abaixo do preço no Golfo do México (EUA).

O preço da gasolina doméstica ficou R$ 0,45/litro (ou -14,9%) abaixo do preço no Golfo do México (EUA), em 10 de maio. O resultado teve influência da leve redução, de 0,4%, no preço internacional da gasolina, com relação à semana anterior, e da variação da taxa de câmbio, citada acima. O preço da gasolina na refinaria nacional, também, não foi ajustado pela Petrobras no período em análise.

Acompanhe a variação nos últimos 12 meses:

Na média semanal (3 a 10 de maio), o preço da gasolina na refinaria nacional ficou R$ 0,49/litro (ou -15,9%) abaixo do preço do Golfo do México.

O preço do barril de petróleo tipo Brent permaneceu sob influência da pandemia do coronavírus (Covid-19), na semana em análise. Diante do contexto, a preocupação com a demanda sempre ronda o mercado, mas é crescente o otimismo sobre a reabertura econômica nos Estado Unidos (EUA) e na Europa, embora as preocupações sobre o aumento de casos de infecção por Covid-19 na Índia continuem. Dados econômicos dos EUA e da China e a melhora na distribuição das vacinas na Europa ajudaram a impulsionar a cotação do petróleo.

Além disso, os preços foram influenciados pela divulgação dos dados semanais de estoque de petróleo bruto pelo Departamento de Energia americano (DoE), que reportou uma queda muito maior do que a esperada, de aproximadamente 8 milhões de barris.

Outro fator que influenciou a variação da cotação da commodity, na semana em análise, foi o fechamento temporário do oleoduto Colonial Pipeline Co., fornecedor de gasolina, diesel e combustível de aviação para o leste dos EUA, devido à um ataque cibernético ocorrido em 7 de maio. O oleoduto é crucial para o fornecimento de produtos refinados da Costa do Golfo para a Costa Leste dos EUA, transportando cerca de 2,5 milhões de barris de óleo por dia.

Tags: Brasil, CBIE, CBIE na Mídia, Combustíveis, Defasagem, Diesel, Economia, Gasolina, Petrobras, Petróleo, Preço

POSTS RELACIONADOS

    SIGA NOSSA NEWSLETTER

    ENERGIA SEMANAL