Preços da energia devem continuar a pressionar a inflação em 2022

Por Adriano Pires

O que nos salvou do racionamento foram as térmicas, as chuvas de outubro e o fato de que mais uma vez a economia não cresceu o esperado, mas evitar o racionamento trouxe um custo ao consumidor

 

O ano de 2021 foi bastante tenso no mercado de energia. Tivemos a crise de energia, aumentos surreais no preço da gasolina, diesel e botijão de gás e agora no final do ano um aumento significativo no gás natural vendido pelas distribuidoras de gás estaduais.

 

CONTINUE LENDO!

 

Publicado originalmente pelo Estadão.

POSTS RELACIONADOS

    SIGA NOSSA NEWSLETTER

    ENERGIA SEMANAL