“Continuaremos a defender regras claras”

A defasagem de investimento em infraestrutura não dá para ser fechada apenas com investimentos domésticos. Houve avanços recentes no campo regulatório, com uma agenda de reformas regulatórias no setor de infraestrutura e a criação do Pró-Infra. Porém, ainda persistem resquícios de uma cultura de regras falhas e de insegurança jurídica, além de imprevisibilidade político-econômica, que geraram um histórico de baixo grau de crédito no cenário global com que temos que lidar até hoje. Exceto em períodos específicos de bonança e expansão econômica, seguidos de crises que duraram até uma década, não houve no Brasil prioridade para projetos de infraestrutura. É sempre bom lembrar que os investimentos em infraestrutura são capital intensivo e prazo de amortização longo