É significativa a defasagem entre o preço nacional e internacional dos combustíveis

Por CBIE

De acordo com a atualização mais recente, em 25 de janeiro de 2021, o preço médio do diesel na refinaria nacional ficou R$ 0,43/litro abaixo (ou -17,5%) do preço no Golfo do México (EUA). O resultado deve-se ao aumento de 0,6% no preço internacional do diesel, com relação ao preço da semana anterior (18/1), combinado à elevação de 4,3% na taxa de câmbio (R$/US$). Não houve reajuste no preço do diesel na refinaria, na semana em análise. No entanto, em 27 de janeiro a Petrobras aumentou o diesel em 4,4%, o primeiro reajuste desde 2021.

Veja o histórico dos últimos 12 meses no gráfico abaixo:

Na média semanal (de 18 a 25 de janeiro), o preço do óleo diesel na refinaria nacional ficou R$ 0,36/litro abaixo (ou -14,9%) do preço no Golfo do México (EUA).

O preço da gasolina doméstica ficou R$ 0,46/litro abaixo (ou -18,6%) do preço no Golfo do México (EUA), em 25 de janeiro. O resultado teve influência do aumento de 2,9% no preço internacional da gasolina, com relação à semana anterior, e da variação da taxa de câmbio, citada acima. A Petrobras realizou dois reajustes na gasolina em janeiro, o primeiro no dia 19, de 7,9%, e o segundo no dia 27, de 5%. Somente na próxima análise teremos o impacto do segundo ajuste na defasagem.

Acompanhe a variação nos últimos 12 meses:

Na média semanal (de 18 a 25 de janeiro), o preço da gasolina na refinaria nacional ficou R$ 0,38/litro abaixo (-16,0%) do preço do Golfo do México (EUA).

Na semana em análise, o preço do barril de petróleo, variável importante para o preço internacional de gasolina e do diesel, permaneceu influenciado pela pandemia de coronavírus (Covid-19) e seus efeitos na demanda global da commodity. Preocupou o mercado, o novo avanço da pandemia na China, o maior importador líquido de petróleo do mundo. Também influenciou a variação dos preços a divulgação dos dados oficiais de estoques de petróleo nos Estados Unidos, que indicaram uma alta maior do que a esperada. Em paralelo, o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos divulgou dados fracos do mercado de trabalho no país, ampliando as preocupações com a desaceleração da recuperação econômica americana.

Por outro lado, trouxe otimismo os sinais de que o Iraque está cumprindo o seu compromisso de compensar os excessos de produção 2020, segundo acordado com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (OPEP+). O Iraque anunciou que planeja reduzir a sua produção de petróleo em 3,6 milhões de barris (b/d) entre janeiro e fevereiro, ficando com uma oferta abaixo dos 3,86 milhões de b/d definidos no acordo da OPEP+.

Além disso, houve influência da notícia de que a Guarda de Instalações Petrolíferas da Líbia suspendeu todas as exportações de petróleo dos portos de Ras Lanuf, Es Sider e Hariga, devido a uma disputa salarial. A produção de petróleo da Líbia teve uma recuperação significativa em dezembro de 2020, superior a 1,2 milhão de b/d.

Tags: CBIE, Defasagem, Diesel, Gasolina, Petrobras, Petróleo

POSTS RELACIONADOS

    SIGA NOSSA NEWSLETTER

    ENERGIA SEMANAL