Mundo sonha com a transição energética, mas ainda depende muito de combustíveis fósseis

Por Adriano Pires

No lugar da Opep elevando os preços do petróleo, temos agora os ambientalistas demonizando os combustíveis fósseis e provocando um colapso no mercado de energia

 

Os movimentos de grande turbulência que tem ocorrido no mercado de energia nas últimas semanas vêm provocando elevações surreais nos preços. Isso nos lembra os eventos do primeiro e segundo choque do petróleo. Naquela ocasião a OPEP, liderada pela Arabia Saudita, quadruplicou em 1973 o preço do barril de petróleo e em 1979 duplicou. A consequência para a economia foram a queda no crescimento econômico e o aumento da inflação em escala global.  A reação do governo americano foi a duplicação da taxa de juros que acabou sendo conhecida como o contrachoque do petróleo.

Os preços da energia e do gás estão batendo novos recordes, e algumas empresas de uso intensivo de energia fecharam temporariamente as operações porque estão se tornando muito caras para operar. Nos países desenvolvidos, os preços da energia subiram 18% em agosto, o ritmo mais rápido desde 2008.

Na Europa, o gás natural está sendo negociado ao equivalente a US$ 230 por barril, se fizermos a equivalência com o petróleo – mais de 130% desde o início de setembro e mais de oito vezes superior a mesma epoca do ano passado.

 

CONTINUE LENDO!

 

Postado originalmente pelo Estadão.

POSTS RELACIONADOS

    SIGA NOSSA NEWSLETTER

    ENERGIA SEMANAL