Baixa da gasolina no DF deve durar só até terça, quando haverá mudança no ICMS

Por Thaís Moura, estagiária sob supervisão de Rozane Oliveira para o Correio Braziliense.

Apesar das promoções nos postos, consumidores seguem insatisfeitos com os valores pagos para encher o tanque. (Foto: Thaís Moura/Esp. CB/D.A Press)

Brasilienses que foram aos postos de gasolina nesta sexta-feira (12/7) conseguiram encontrar o litro da gasolina a menos de R$ 4. Após o anúncio de redução do valor do combustível nas refinarias para R$ 0,0778, na última semana, as revendedoras resolveram fazer promoção. No entanto, é bom se apressar, pois o litro mais em conta deve se manter somente até terça-feira, quando o Confaz deve elevar a base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Levantamento feito pelo Correio em 27 postos mostra onde encontrar a gasolina mais barata no DF neste fim de semana.

O posto Ipiranga, na Avenida das Araucárias (Águas Claras), e o Petrolino, no centro de Taguatinga, vendem o litro da gasolina pelos menores valores encontrados pela reportagem, a R$ 3,96 e R$ 3,97, respectivamente. Na EPTG e em outros postos de Taguatinga, os valores permanecem na mesma faixa. Já no Plano Piloto, estabelecimentos na Asa Norte, como os da 206 (JarJour), da 208 (Petrobras), da 210 (Ipiranga), da 212 (Shell), da 112 (Ipiranga), da 115 (Ipiranga) e da 107 (Petrobras) são os mais em conta, com o litro a R$ 3,98.

Na Asa Sul, os únicos que vendem o combustível abaixo de R$ 4 são os da 115 (Shell), 214 (Petrobras), 210 (JarJour), 207 (Petrobras), 204 (Melhor) e 202 (Petrobras). No Setor de Indústrias Gráficas (SIG), os valores sobem para R$ 4,089.

Mesmo com a gasolina em patamares inferiores aos da última quinzena, muitos consumidores estão insatisfeitos. Ao descobrir que a gasolina aumentará na semana que vem, o administrador de empresas Wesley Vilela, 49 anos, se revoltou. Mesmo não dependendo do carro todos os dias, ele reclama que todos seus destinos exigem que ele vá de Taguatinga para o Plano, e por isso, gasta cerca de R$ 1.000 por mês em combustíveis.

“Acho um absurdo tantas variações no preço, eu já cheguei a pagar quase R$ 5 no litro da gasolina. A população é totalmente dependente do combustível. Deveriam mudar logo as tecnologias e instalar os carros elétricos, que já existem, por sinal. Mas enquanto isso não acontecer, acho que os brasileiros vão ficar reféns dessa máfia dos postos de gasolina”, afirmou.

Swami Ribeiro, motorista de Uber, 60, acredita que R$ 3,97 ainda é um preço alto para o combustível. Ele torce para que o aumento do dia 16 não eleve tanto o valor nas bombas. “Como eu tenho o cartão da Petrobras para abastecer, costumo ir no meu posto lá em Ceilândia, mas hoje tive que vir em Taguatinga para gastar menos. Para mim, ainda existe muito abuso na hora de cobrar do consumidor”, reclamou.

Explicação

Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Combustíveis do Distrito Federal (Sindicombustíveis-DF), Paulo Tavares, a variação a partir de terça-feira se deve à entrada em vigor do novo preço de referência da gasolina para a cobrança de impostos pelo Governo do Distrito Federal, que passará de R$ 4,24 para R$ 4,31. “Alguns postos reduziram os preços porque conseguiram descontos nas distribuidoras. Está tendo uma guerra de preços, por isso que as distribuidoras dão esse desconto. É provável que os valores continuem mais baixos até segunda-feira”, esclareceu.

Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, afirma que, no Brasil, os impostos representam quase metade do preço ao consumidor. “Quando o combustível chega à bomba, as quedas nas refinarias nunca são tão significativas, porque os impostos são muito altos”, disse. “Se queremos que o consumidor pague mais barato, deveríamos buscar fazer mudanças no setor do combustível por meio da reforma tributária”.

O especialista ressalta que os preços estabelecidos pelos postos são livres, então é normal que ocorra uma guerra entre eles. “Porém, se você tem uma diferença de preço de combustível muito grande de um posto para outro, deve prestar atenção, pois pode ser resultado de sonegação, adulteração ou roubo de combustível”, alertou.

Variação dos preços no DF (em reais)

Postos 5/7/19-12/7/19
Petrobras – Posto da Lava Jato: 4,189-3,999
Petrobras – Eixo W 106 Sul: 4,179-4,039
Petrobras – Eixo W 109 Sul: 4,179-4,079
Shell – Eixo W 115 Sul: 4,129-3,999
Petrobras – Eixo L 214 Sul: 4,160-3,990
Petrobras – Eixo L 212 Sul: 4,179-4,089
JarJour – Eixo L 210 Sul: 4,169-3,999
Petrobras – Eixo L 207 Sul: 4,169-3,999
PB – Eixo L 206 Sul: 4,169-4,099
Melhor – Eixo L 204 Sul: 4,169-3,989
Petrobras – Eixo L 202 Sul: 4,169-3,999
Ipiranga – Eixo L 204 Norte: 4,141-4,099
JarJour – Eixo L 206 Norte: 4,189-3,989
Petrobras – Eixo L 208 Norte: 4,189-3,989
Ipiranga – Eixo L 210 Norte: 4,189-3,989
Shell – Eixo L 212 Norte: 4,189-3,989
Petrobras – Eixo L 214 Norte: 4,259-4,189
Ipiranga – Eixo W 115 Norte: 4,189-3,989
Petrobras – Eixo W 113 Norte: 4,189-3,999
Ipiranga – Eixo W 112 Norte: 4,189-3,989
Petrobras – Eixo W 107 Norte: 4,189-3,989
Petrobras – Eixo W 103 Norte: 4,189-4,390
Petrobras – SIG Quadra 3: 4,289-4,089
Shell – SIG Quadra 3: 4,289-4,089
Garantia – EPTG: 4,099-3,999
Vtex – EPTG: 4,097-3,999
Ipiranga – EPTG: 4,099-3,999
Nenen’s – Taguatinga: 4,099-3,990
Shell – Taguatinga: 4,099-3,990
Petrolino – Taguatinga: 4,069-3,979

(Fonte: Correio Braziliense)

Comments are closed.

Navigate
EnglishPortuguese