O que é o mercado de carbono?

O mercado de carbono ocorre através do sistema cap and trade leva em consideração os limites e permissões de lançamento de carbono e outros gases poluentes na atmosfera, garantindo que as empresas cumprirão suas metas. Aquelas que não são capazes de atingir os objetivos estabelecidos podem adquirir os créditos para compensar suas emissões. Por convenção, uma tonelada de dióxido de carbono corresponde a um crédito de carbono que deixou de ser emitido para a atmosfera. O crédito de carbono é um certificado eletrônico que é emitido quando há diminuição de emissão de gases que provocam o efeito estufa.

O Gás Natural como Protagonista

O Projeto de Lei do Gás, PL 6.407/2013, possui uma grande virtude de mudar o marco regulatório do gás natural, que atualmente, não é suficiente para atrair investimento para o setor e aumentar a participação do gás na matriz energética brasileira. Há cerca de 15, 20 anos, o gás natural mantém uma participação muito pequena na matriz energética brasileira, de 13%.

O que é a Fase de Exploração?

Antes de um poço de óleo e gás começar a produzir comercialmente, ele passa pela fase de exploração. Essa fase tem como objetivo descobrir jazidas de petróleo e avaliar como será realizada a extração e produção em determinado local. Os contratos de concessão e partilha estabelecem um prazo, no qual a empresa responsável pela área deve desenvolver atividades geológicas e geofísicas, com o objetivo de obter mais conhecimento sobre o bloco adquirido, permitindo dessa forma, uma produção mais precisa. É na fase de exploração também que as empresas avaliam a viabilidade econômica de exploração em um determinado local e determinam a comercialidade da área.

Planejamento Energético sem Paixões e Intransigências

A Califórnia é referência em geração limpa e renovável de eletricidade. Em função disso, os recentes apagões ocorridos no estado vêm ganhando repercussão no noticiário internacional. O que está acontecendo na Califórnia acende uma discussão que deveria ser feita, sem paixões e intransigências, sobre um equilíbrio entre a geração térmica e as renováveis.

O que é o Gasbol?

O Gasoduto Brasil-Bolívia (Gasbol) é o gasoduto de transporte que traz o gás natural importado da Bolívia para o Brasil, entrando no país por Corumbá-MT, garantindo o abastecimento de distribuidoras de gás, termoelétricas e refinarias. Ele tem início em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e percorre 136 município em 6 estados (Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). até chegar em Canoas-RS. O projeto do Gasbol teve como marco inicial um acordo entre a Petrobras e a Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), no qual a YPFB se comprometeu a vender, em um modelo take-or-pay, quantidades crescentes de gás. A construção do Gasbol teve início em 1997, e em 1999 o primeiro trecho passou a operar. No entanto, o funcionamento pleno só ocorreu em 2010, com inauguração do trecho Paulínia (SP) – Araucária (PR).

Como funciona a reinjeção de gás natural?

O gás natural pode ser de associado ou não a produção de petróleo. Quando associado, como no caso da maioria dos campos do pré-sal, o gás pode ser utilizado para otimizar a recuperação de petróleo através de um processo chamado de reinjeção. Já no caso de recursos não associados, como o gás da Bolívia, normalmente o patamar de reinjeção é zero ou próximo a zero. Além de otimizar a produção de petróleo, a reinjeção tem, também, como objetivo evitar a queima do gás, o que pode ser ecologicamente prejudicial. Você sabe como funciona o processo de reinjeção?

As Reformas no Setor de Energia

Com a finalidade de modernizar e atrair investimentos, estão em tramitação três Projetos de Lei (PL): o PL 6407 do gás natural, o PLS 232 do setor elétrico e o PLS nº 3.178 sobre leilões de petróleo e gás natural. Ainda temos o Código Brasileiro de Energia Elétrica, em tramitação na Câmara, e a Reforma Tributária. O objetivo é preparar o setor de energia para o futuro e para mundo pós pandemia.