Qual o ranking do Brasil na produção de petróleo global?

O Brasil atualmente ocupa a 10ª posição no ranking global de produção de petróleo, conforme apresentado na tabela abaixo. Os dados são do relatório BP Statistical Review, que agrega as informações disponíveis mais recentes de cada país. No caso do Brasil, por exemplo, a produção de 2.734 mil barris por dia (b/d), ou 2,7 milhões de b/d de petróleo, é a informação divulgada no Anuário Estatístico 2018 da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Observado a disposição geográfica dos dez países maiores produtores, conforme visto no mapa a seguir, vemos a concentração histórica do Oriente Médio, com Irã, Iraque, EAU e Kuwait com alta produção. Outra região grande produtora atualmente é a América do Norte (Estados Unidos, Canadá), ao passo que vemos o declínio da região história do Mar do Norte na Europa, com a Noruega fora dos dez maiores e o Reino Unido fora até dos quinze maiores.

Na América do Sul, vemos a ascensão do Brasil em detrimento de países tradicionalmente produtores como a Venezuela (cuja crise político-econômica já fez produção cair para menos de 1 milhão de b/d), Equador e Colômbia. Na Ásia, a China e a Rússia, países de imensa extensão territorial, também são ricos em hidrocarbonetos e são grandes produtores de petróleo em escala mundial. A África também possui importantes produtores de petróleo, como a Nigéria e alguns países no norte do continente.

Fonte: US Energy Information Administration (EIA)

O Brasil está muito bem colocado no ranking global da produção de petróleo dado que até os anos 80 e 90 estava longe de ser um dos maiores produtores mundiais. A exploração contínua dos grandes campos offshore na Bacia de Campos na década de 2000 fez a produção brasileira crescer 5,4% a.a. naquela década, alcançando os grandes produtores. Já na década de 2010, o Brasil está capturando os excelentes resultados da exploração e desenvolvimento das enormes jazidas de hidrocarbonetos sob a Camada Pré-sal, nas águas profundas das bacias de Santos e Campos, que mais do que compensou as taxas de declínio dos grandes campos do pós-sal da Bacia de Campos.

O futuro para o Brasil no ranking dos maiores produtores de petróleo global parece cada vez mais certo. Com o desenvolvimento de inúmeros projetos de grande escala seja em blocos do Pré-sal sob os regimes de Concessão, Partilha ou Cessão Onerosa, a Empresa de Pesquisa Energética, braço de estudos do setor de energia do Ministério de Minas e Energia, projeta que o Brasil vai estar produzindo cerca de 5 milhões de b/d de petróleo no final da década de 2020. Deste modo, é bem possível que o Brasil esteja entre os cinco maiores produtores do mundo no início da década de 2030, que é considerada por especialistas em energia o auge da produção de petróleo mundial antes da prevista transição energética para uma economia de baixo uso do carbono. É nossa responsabilidade aproveitar o bom momento da indústria doméstica de petróleo para contribuir para o desenvolvimento do nosso país.

(Fonte: CBIE)

Comments are closed.

Navigate
EnglishPortuguese