Mercado vê risco de desabastecimento de combustíveis e preços ainda mais altos; entenda

Por Fontes Externas

Petrobras informou que não conseguirá atender todos os pedidos de fornecimento de combustíveis para novembro. Distribuidoras afirmam que diferença atual entre os preços internacionais e os praticados pela estatal desestimulam importação e podem deixar gasolina e diesel mais caros.

 

Após a Petrobras ter confirmado que não conseguirá atender todos os pedidos de fornecimento de combustíveis para novembro, distribuidoras e agentes do mercado passaram a alertar para o risco de desabastecimento de gasolina e diesel no país.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíeis (ANP) afirma que não vê indicação de desabastecimento “nesse momento” e que “adotará, caso necessário, as providências cabíveis para mitigar desvios e reduzir riscos”.

Analistas e representantes do setor afirmam que há, sim, um risco potencial desabastecimento e de preços ainda mais caros nas bombas, uma vez que o Brasil não produz o volume de combustíveis necessário para abastecer o país, dependendo de importações, e que a atual política de preços praticada pela Petrobras desestimula a importação de combustíveis por agentes privados, uma vez que os preços no mercado internacional estão mais caros que no mercado doméstico.

 

CONTINUE LENDO!

 

Publicado originalmente por Por Darlan Alvarenga, g1.
Crédito da imagem: (Por Memory Stockphoto/Shutterstock)

POSTS RELACIONADOS

    SIGA NOSSA NEWSLETTER

    ENERGIA SEMANAL